{ Back to Copenhagen #5 – Flower Power }


Em Copenhaga, há uma coisa que não passa despercebida: Flores!

As lojas, restaurantes, esplanadas estão sempre decoradas com flores lindíssimas, pequenos arranjos, pequenos vasos em latão, flores sempre coloridas embelezam ainda mais aquela cidade.

As floristas têm uma variedade enorme de flores, de todas as cores e tamanhos, onde a escolha se torna difícil.

Ao fim da tarde, é ver toda a gente com ramos de flores embrulhadas em papel, no seu regresso a casa.

Copenhaga 140 Copenhaga 149 Copenhaga 155 Copenhaga 156 Copenhaga 157 Copenhaga 159 Copenhaga 160 Copenhaga 161 Copenhaga 162 Copenhaga 163 Copenhaga 164Uma maravilha para os sentidos…

{Post agendado}

{ Confiança }


              Subst. f.
             1. Crença na honestidade de alguém: ter confiança em alguém
             (…)
É fácil conquistá-la
Acho que, por defeito, nós confiamos.
Se nada houver que nos faça desacreditar numa pessoa, nós tendemos a confiar.
É fácil mantê-la
É fácil perdê-la.
Basta um simples acto para a perdermos. Uma traição, uma mentira descoberta, uma atitude para perdermos a confiança em alguém. Uma confiança de anos, desaparece num segundo. Num milésimo de segundo.
É difícil, se não impossível, recuperá-la.
Podemos dar uma segunda oportunidade a quem nos traiu, e eu sou toda pelas segundas oportunidades, mas a confiança que uma vez perdemos, dificilmente volta.
Podemos voltar a tentar, podemos! E se for isso que queremos, devemos voltar a tentar acreditar, a confiar. Mas acho que quem foi traído (independentemente do tipo de traição), ficará sempre com um pé atrás. Ficará sempre de “antenas no ar” para qualquer sinal que possa indiciar nova traição, mesmo que não seja mais do que a sua imaginação… E isto, meus queridos, não é confiança.  
{Foto: Sol de Dezembro}