Encarar a realidade


Não me lembro da primeira carteira que fiz para a bu&bau e infelizmente não tenho registo dela. O registo mais antigo que encontro relacionado com as carteiras é de Dezembro de 2008.

 

Sei que até hoje terei feito 95.

{Carteira #95}

Apesar de ter feito outro tipo de peças, as carteiras foram o core desta marca, que anda meio abandonada há mais de 2 anos. Tenho me desculpado com falta de tempo para lhe dar asas, mas agora, enquanto faço a carteira #96 (cortada há quase um mês e ainda não terminada), apercebo-me que o motivo não é só a falta de tempo (esse arranja-se quando há paixão pelo que fazemos).

A verdade é que pelo caminho acho que perdi o gosto de fazer carteiras. Foram muitas, muitas mais do que pensei fazer quando comecei com esta brincadeira.

A carteira #96 vai ser a última.

carteira-the last one

Com isto, a bu&bau não vai morrer. Antes pelo contrário. Quero muito reavivar a bu&bau. Criar, cortar tecidos e costurar. Só não vão sair do forno mais carteiras.

Chegou a altura de assumir esta mudança, esta decisão.

Os tecidos vão mexer, não ao ritmo de antigamente, mas com a mesma vontade e carinho e em simultâneo com outros projectos e mudanças que andam à espreita.

Advertisements

{ Sunset }


Se os dias compridos de Copenhaga,  me enchem as medidas, com cerca de 19 horas de luz, em Junho, desta vez ainda fui brindada com um pôr do Sol que me acompanhou durante quase 2h30, na viagem de Frankfurt para Lisboa.

Sunset Sunset Sunset Sunset Sunset Sunset Sunset Sunset Sunset Sunset

Valeu a pena o facto de não haver voo directo de Copenhaga, não acham?

{ Copenhagen: The Round Tower }


Com uma tarde livre, tinha planeado ir visitar Christiania, uma comunidade completamente diferente daquilo a que Copenhaga nos habitua. Mas a combinação o facto de estar a chover implicou uma mudança de planos (havia um Plano B) e fiquei-me por uma zona que ainda não tinha explorado bem. Aproveitei para visitar a Round Tower e um mercado muito bom, o Torvehallerne (mas este fica para um próximo post).

DSCF8460-001 Esta torre redonda tem cerca de 36 metros de altura e encontra-se num edifício que alberga uma igreja, uma biblioteca (que actualmente também serve de centro de exposições) e um observatório.DSCF8611-001

A subida é feita pelo interior, um passeio de 209 metros em caracol.

PicMonkey Collage1Pelo caminho encontramos alguns pontos de interesse. Primeiro a tal biblioteca, que apresentava um exposição de chapéus muito interessante. O espaço tem também uma pequena cafetaria e loja:

PicMonkey Collage3DSCF8473-001 DSCF8476-001 DSCF8479-001 DSCF8480-001 DSCF8489-001 DSCF8493-001 DSCF8499-001 DSCF8500-001DSCF8502-001 DSCF8503-001 DSCF8504-001 DSCF8505-001Uns passos acima encontramos a sala do sino, com as vigas de madeira originais (LINDAS!)
PicMonkey Collage2Mas o que me levou a visitar esta torre inicialmente foi o facto de terem instalado, no centro da torre um vidro flutuante onde quase podemos ver o fundo da torre, a uma profundidade de 25 metros. Confesso que respirei fundo antes de pisar o vidro, mas a verdade é que é bastante seguro (suporta 900kg/m2). Como não tem qualquer luz não foi fácil fotografar…DSCF8546-001

DSCF8547-001Continuando a subida, chegamos a um último átrio seguido por um estreito lance de escadas que nos leva ao exterior.DSCF8524-001

DSCF8530-001DSCF8525-001 DSCF8541-001A chuva e alguma nabice problemas técnicos com a máquina deixaram as fotos que tirei lá em cima (exterior) azuladas, por isso nem as coloco aqui :(
DSCF8609-001O preço desta visita é de 25DKK (não chega a 3,50€), e acho que vale bem a pena.

Em termos da vista sobre a cidade, continuo a preferir a que é oferecida pela “Vor Frelsers Kirke” (Igreja de Nosso Salvador), com 90 metros de altura.

{ Entrada }


Ando há demasiado tempo que ando para arranjar a entrada cá de casa. Mas as ideias são muitas e o dinheiro tempo pouco.

Cada vez que vejo uma ideia gira, mudo os planos. Mas acho que tenho de parar e decidir-me.

Gosto imenso da ideia deste “cabide” corrido ao longo de toda a parede, onde se pode pendurar tanto um casaco e um cachecol, como um elemento decorativo, como um saco giro, uma casa de pássaros, e pequenos cestos para arrumar a trela da e-nome ou pousar a correspondência…Como mesa de apoio, estou a planear construir uma muito parecida com esta em baixo, já que pelas instruções não parece ser difícil.Para a parede oposta, que fica em frente à porta do atelier que tem muita luz natural, Lembrei-me de fazer uma brincadeira com vários espelhos para tentar espalhar luz pelo hall, que não tem nenhuma natural.

A cor base será sem dúvida o branco e a cor aparecerá em apontamentos decorativos.