Irresistível


Quando tenho um voo, tento fazer o check-in o mais cedo possível, para poder escolher o lugar ao meu gosto…

Gosto de voar na zona das asas, porque se sente menos instabilidade durante o voo. E gosto de me sentar à janela porque não resisto à vista fabulosa que nos é apresentada quando passamos a fofa camada de núvens…

1-20160418_1854251-20160418_1853431-20160418_1853071-20160418_1852591-20160417_114253

Também adoro ver a cidade lá em baixo, a ficar cada vez mais em miniatura. Desta vez, por questões relacionadas com a “recuperação” do aeroporto de Bruxelas, o meu voo de regresso a Lisboa saiu de Ostende, no Norte da Bélgica. Uma cidade costeira, que me pareceu (na rápida passagem de autocarro da estação de comboio para o aeroporto), uma cidade bem pitoresca e agradável.1-20160418_1852091-20160418_1851551-20160418_1851471-20160418_1851261-20160418_1851131-20160418_185104

Comer melhor


A troca de um presente de Natal, levou-me a adquiri o livro da Joana Alves, autora do delicioso blogue Le Passe Vite, que sigo há bastante tempo – Natural, O grande livro da cozinha vegetariana.

12509675_1215883315107126_4094266260382715663_n

A minha curiosidade por alimentos diferentes acabou por ser aguçada por este livro.

Quinoa, cânhamo (sem quaisquer efeitos estranho, escusam de estar com ideias), bulgur e germinados passaram a habitar a minha despensa.

Não sou, nem tenciono tornar-me, vegetariana. Gosto muito de um bom bife de vaca quase em sangue (apesar de ser cada vez mais raro comer um). A ideia passa apenas por melhorar a minha alimentação. Evitar cada vez mais os limentos processados e aqueles produtos que sabemos desde sempre que são péssimos para a saúde.

Lembro-me de ter lido por aí qualquer coisa como “se tem rótulo, não compres”. Claro que continuo a comprar muitos alimentos com rótulos, mas opto por aqueles que têm uma lista de ingredientes que consigo ler e, de preferência, com o menor número possível de ingredientes…

Outra excelente compra que fiz foi um esperalizador, que me permite transformar alguns vegetais num género de noodles e que dá outra graça aos pratos que vão para a mesa:

1-1-DSC_1984-002.JPG

Hoje o almoço foi diferente, colorido e bem saboroso. Noodles de vegetais (cenoura, rábano e courgete), com algas wakame (depois de as hidratar), uma mistura de cogumelos, numa cama de bulgur, e salpicado com sementes de sésamo negras e sementes de girassol.

1-DSC_01761-DSC_01811-DSC_0165

As algas desidratadas pareciam cinzas pretas e rapidamente se transformaram num luxuriante verde com sabor a mar1-DSC_0167

Bom domingo